Cursos de graduação em Engenharia Agronômica, Engenharia Ambiental e Engenharia de Alimentos serão os primeiros a serem criados no Campus Lagoa do Sino

Os primeiros cursos de graduação a serem oferecidos no Campus Lagoa do Sino da UFSCar, a partir de 2014, serão os de Engenharia Agronômica, Engenharia Ambiental e Engenharia de Alimentos. A proposta foi aprovada pelo Conselho Universitário em reunião realizada no dia 26 de abril. Os próximos passos são a elaboração dos projetos pedagógicos dos cursos aprovados para submissão ao Conselho de Graduação da Universidade e a liberação, pelo Ministério da Educação, das vagas de servidores docentes e técnico-administrativos para início das atividades.
A proposição dos cursos buscou coerência com os eixos norteadores e temas transversais previstos no projeto originalmente apresentado para o novo campus e, também, com a realidade territorial da região de implantação. Além disso, foram consideradas as possibilidades de articulação entre as três áreas, o que permitirá melhor aproveitamento dos docentes a serem contratados e favorecerá o surgimento de programas de pós-graduação interdisciplinares e a consolidação de redes de trabalho em pesquisa e extensão. Outros critérios adotados foram a originalidade em relação aos cursos já oferecidos pela UFSCar nos demais campi e a atratividade das carreiras, considerando o isolamento territorial do novo campus e outras características da região onde está sendo instalado que exigem atenção especial a estratégias de fixação de servidores e estudantes.

Além da elaboração dos projetos pedagógicos dos cursos, diversas outras ações estão sendo realizadas para preparar o Campus para o início das atividades. No início de maior, equipe da ProACE reuniu-se com toda a equipe da Prefeitura Municipal de Campina de Monte Alegre. Outras reuniões já estão agendadas, em outros municípios e envolvendo as diversas pró-reitorias.

Cursos

O curso de Engenharia Agronômica já é oferecido pela UFSCar no Campus Araras. No entanto, além do projeto pedagógico que está sendo construído para Lagoa do Sino ser substancialmente distinto, o fato do Campus Lagoa do Sino estar em uma fazenda produtiva torna imprescindível a presença da área. O curso deverá formar profissionais capacitados a atender as demandas atuais da agricultura brasileira considerando um novo paradigma de produção: o de desenvolvimento rural, que tem base sobretudo na preocupação com a sustentabilidade ambiental, a reprodução social e econômica da agricultura familiar e a promoção da segurança alimentar, dentre outras.
Já o curso de Engenharia de Alimentos deverá formar profissionais capazes de propiciar a segurança do alimento e alimentar, além de contribuir para a produção mais eficiente, com redução de perdas e aproveitamento de resíduos das matérias primas tradicionalmente produzidas. Assim, seu diferencial em relação a cursos similares será a formação específica para prover a interface entre os conceitos de segurança alimentar e segurança de alimentos, que é uma das fragilidades dos produtores rurais de médio e pequeno porte.
Com o curso de Engenharia Ambiental, pretende-se formar profissionais para atuar na conservação, preservação e manejo dos recursos ambientais; desenvolver projetos de controle de impactos ambientais; auxiliar na recuperação de áreas degradadas e, também, em projetos de reflorestamento, além de poderem atuar no desenvolvimento de estratégias de educação ambiental. O diferencial também relaciona-se à interface com a segurança alimentar, tratada de modo amplo, abrangendo as condições de saúde das pessoas, de higiene dos alimentos e da qualidade da produção, bem como a promoção da sustentabilidade ambiental e a elevação das condições de renda e emprego de pequenos agricultores familiares e trabalhadores rurais envolvidos com a produção alimentar.

Preparando o terreno
Além do desenvolvimento dos projetos pedagógicos dos primeiros cursos de graduação, uma série de outras ações está sendo realizada para viabilizar o início das atividades no Campus Lagoa do Sino. As edificações já existentes no local estão sendo adequadas para abrigar as atividades administrativas e acadêmicas iniciais e estão previstas novas construções. Em breve serão realizados concursos para o preenchimento de oito vagas de servidores técnico-administrativos já liberadas pelo Ministério da Educação, e há o compromisso de liberação de outras vagas de TAs e dos primeiros docentes no segundo semestre deste ano. Além disso, no dia 29 de abril o professor Luiz Fernando de Oriani e Paulillo, que coordenou o projeto para implantação do novo campus, foi nomeado Assessor da Reitoria de Articulação Institucional do Campus Lagoa do Sino. Paulillo coordenou também projeto de pesquisa voltado à caracterização do território em que o Campus está localizado, para identificação de necessidades e demandas.
Nos dias 7 e 8 de maio, a equipe da Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários e Estudantis (ProACE) esteve no município de Campina de Monte Alegre, o mais próximo do novo campus. Na ocasião, foram realizadas reuniões com toda a equipe da Prefeitura Municipal de Campina de Monte Alegre – incluindo o Prefeito e todo o secretariado – para apresentação da Universidade e, particularmente, das atividades conduzidas pela ProACE. Dentre outros temas debatidos, foram apresentadas as demandas relativas a moradia, transportes e alimentação dos estudantes que comporão as primeiras turmas de graduação do novo campus. Estão previstas visitas a outros municípios da região, não apenas da equipe da ProACE, mas também de outras pró-reitorias e, particularmente, da Pró-Reitoria de Extensão, que está elaborando projetos para início das atividades de extensão no Campus Lagoa do Sino já no segundo semestre deste ano.

Arquivado em Expansão